(11) 2896-9990
(11) 9-9865-2423

Lavanderias: história e crescimento no Brasil

As primeiras lavanderias (e tinturarias) chegaram ao Brasil com os imigrantes italianos e japoneses, contribuindo para o desenvolvimento das duas maiores colônias da cidade de São Paulo. Hoje, o segmento é um mercado com boa margem de crescimento, atraindo investidores para um comércio altamente lucrativo.

Parte do cotidiano, as lavanderias se tornaram uma real necessidade na vida dos brasileiros

Parte do cotidiano, as lavanderias se tornaram uma real necessidade na vida dos brasileiros, que por diversos motivos – ainda mais pela rotina agitada, mudanças no estilo de vida e no tamanho de casas e apartamentos – buscam o serviço deste estabelecimento para limpeza de roupas pessoais ou da casa – cama, mesa e banho – de forma prática, segura e econômica. Algumas delas, inclusive, continuam com a tradicional tinturaria, junto ao plus do serviço de costura, que complementam as lavagens.

Breve história das lavanderias no Brasil

Nas décadas seguintes, com a mudança de cenário, a participação dos japoneses no ramo aumentou – eles chegaram a ser, na década de 1970, donos de 80% das lavanderias.

As lavanderias foram sendo adaptadas pelo ramo da moda

Desde sua ativa criação, as lavanderias foram sendo adaptadas pelo ramo da moda, devido ao surgimento de novos tecidos, processos de lavagem e a intensificação do uso do jeans, por exemplo. Atendendo a essas demandas, foi necessário que o comércio se profissionalizasse, inclusive no fator tecnológico – para atender mais e melhor.

Ademais, foi necessário inovar no segmento que, com os tempos modernos, teve de se aperfeiçoar para atender pessoas de diferentes estilos, idades e novas peças: roupas de cama, tapetes, cortinas, entre outros, entraram na lista de casais ou solteiros que vivem em espaços sem lavanderia, ou que simplesmente desejam simplificar a rotina ao receberem suas peças lavadas, passadas (e até mesmo costuradas).

Lavanderia hospitalar e industrial

Na lavanderia hospitalar, as normas da ANVISA são postas em prática através de um químico responsável.

Na lavanderia hospitalar existe uma área contaminada ou suja.

Na lavanderia hospitalar existe uma área contaminada ou suja, utilizada para separação e lavagem, além de uma máquina com separação de barreiras; área limpa, utilizada para acabamento (centrifugação, secagem, calandragem, dobragem) e guarda; e coleta/entrega através de veículos com separação de barreira. As lavanderias hospitalares possuem alvará sanitário e licença ambiental.

Já nas lavanderias industriais, há uma maior preocupação em aumentar a vida útil das peças; todo o material é separado por cliente e categoria, que se refere ao grau de sujidade e cor, eliminando possíveis riscos de contaminação cruzada.

O processo de higienização das peças também atende às leis estaduais, garantindo a conservação e higienização dos materiais e instrumentos de trabalho.

Representação da categoria empresarial de lavanderias

Mesmo com tantos anos de atuação, ele se adequou a era da globalização – focada nos empresários do segmento, atua na contribuição da redução de custos administrativos dos estabelecimentos, além de auxiliar no aperfeiçoamento dos funcionários e na atualização/manutenção das operações tecnológicas.

O SINDILAV é filiado à Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo – FECOMERCIO; e suas atividades são voltadas para os macrorrelacionamentos como um todo (autoridades legalmente constituídas e o público consumidor). Ele oferece aos seus associados uma ampla assessoria jurídica trabalhista e civil; convênio com o SESC e cursos gratuitos nas áreas técnica e trabalhista.

Como o segmento de lavanderias já se tornou uma atividade altamente especializada e uma categoria econômica reconhecida, o sindicato também ajudou as empresas à construírem credibilidade junto da opinião pública, fazendo com que a figura de lavanderia fundo de quintal, comandada apenas pela família do proprietário, sem comprometimento, fosse esquecida.